O fenômeno Trump explicado por Chomsky: “é América empobrecida”

trump1O grande estudioso responde no “Quora” e descreve o contexto em que ele nasceu e cresceu aplicando para Trump: reformas erradas, os americanos pobres, pouca confiança no futuro. Em essência, é a política que falhou.

Para entender o que está acontecendo na América, e explicar de uma vez o grande sucesso de Donald Trump (que, até agora, não escapa  nem mesmo os piores comentaristas), basta ler esta resposta de Noam Chomsky, em *Quora”, a pergunta: “Mas por que Donald Trump está tendo todo este sucesso? ”

1) Os americanos estão irritados

“Na ausência de dados dos detalhes”, responde Noam Chomsky responde ao Quora “parece que Trump tem um apelo especialmente nos segmentos menos escolarizados da população branca. Ou seja, da classe média Baixa e da classe operaria: as pessoas estão com raiva, frustradas, assustadas e amarguradas pelo fato – e isso é um fato – que sempre foram mantidos à margem”. De acordo com o estudioso, “O programa neoliberal da geração passada foi prejudicial para as populações afetadas, mais ou menos em todos os lugares, e às vezes muito a sério.

O crescimento da desigualdade global (que atingiu proporções extraordinárias) é apenas um dos muitos indicadores. Por exemplo, a Oxfam produz anualmente uma série de relatórios sobre a pobreza e a desigualdade. Em 2014 eles descobriram que cerca de 90 pessoas eram detentoras da riqueza total do mundo. E em 2015 o número caiu para 62”. Enquanto isso, “Cerca de 5 milhões de crianças morrem de fome a cada dia, aproximadamente mais de 500 por hora: a tragedia poderia ser evitada, se não resolvida, com recursos já disponíveis.” E agora ? O que tem a ver com Trump? Nós chegamos lá.

“Entre as sociedades desenvolvidas, a desigualdade é proeminente em países anglo-saxões, e no topo  estão os EUA”. De fato “apesar dos seus numeros positivos, de acordo com muitos parâmetros de pobreza e justiça social, os Estados Unidos ocupam a parte inferior entre os países da OCSE, juntamente com a Grécia, México e Turquia.” Isso é ainda mais insuportável, tendo em conta a “concentração de riqueza global”. Em essência, “os ricos vivem em um mundo distante do resto da população”.

E ainda: “Nos EUA, os programas neoliberais significam, para grande parte da população, a estagnação ou o próprio declínio, enfraquecendo o funcionamento da democracia, reduzindo os benefícios e o bem estar social para esta fatia da população. As pessoas não precisam  ler estudos acadêmicos para saber que os salários médios para os trabalhadores homens são mais ou menos ao mesmo nível da década de 60, enquanto a riqueza se concentrou em apenas algumas pessoas. Para saber que a estratégia de negócios mudou a fabricação para o exterior. Para saber que uma grande maioria da população é, em geral, sem direito a voto – da a sensacao de que seus representantes não se preocupam com seus interesses.” E muitas outras coisas.

2) Quem não vota nele não vota mesmo

“Anos atrás, alguns estudos mostraram que o perfil socio-economico do eleitor americano  que não vota é o mesmo que em outros países, votam em partidos de esquerda ou social-democrata, que na América não há.”

3) Cresceu a intolerância

“Não podemos esquecer que a sensação histórica da supremacia dos brancos, que tem suas raízes no passado, nunca foi superada.” Não só. “A automacao crescente da sociedade deixa as pessoas solitárias e isoladas: eles se sentem abandonados contra as forças que são esmagadores.” Em tal situação “não é difícil para os demagogos de hoje jogarem a sua raiva contra as pessoas que são ainda mais vítimas – os imigrantes, as minorias, os “trapaceiros dos programas sociais” (demonizados por insultos racistas e reacionàrios) – despertam temores exagerados no confronto com inimigos como o governo e os terroristas islâmicos”.

4) Quem disse que os outros são melhores

“É útil comparar o desconforto de hoje com a Grande Depressão de 1930 que, por ser velho, eu lembro bem. Do ponto de vista objetivo, as condições eram muito piores do que hoje. Do ponto de vista subjetivo, as coisas eram muito diferentes. Apesar das condições horrendas, havia um sentimento de esperança, a certeza que se superaria com a uniao de todos. O movimento operário tinha sido destruído na década de 20 pela força, e depois reconstruído nos anos 30, mas não é o momento de lembrar do que aconteceu daquele periodo para frente, mas serve para dizer que a esperança dos anos 30 e das lutas sociais (os resultados conquistados) que despertaram têm sido amplamente substituídos pelo medo, desespero e sensacao de isolamento. Isso abriu o caminho do fenômeno Trump, que deve causar alguma preocupação”, mesmo  porque “o comentário mais favorável que posso fazer na sua candidatura é que Cruz é mais perigoso. E a outra possibilidade entre os republicanos, que seria  Rubio, é da mesma forma uma ameaça para o país e o mundo, pelo menos se ele é sério quando diz o que diz. ”

fonte di linkPop

Posted in Politica and tagged , , , , , , .

Deixe uma resposta