Justiça americana cita Dilma em processo contra Petrobrás

PJustiça americana cita Dilma em processo contra Petrobrásois é!!!  Com americanos não se brinca se o caso envolve  dinheiro. Não vai adiantar  declaração da presidentA Dilma  de que tudo está bem e que não tem corrupção. Os Estados Unidos  não engavetam, mascaram ou dão um jeitinho, lá a democracia neste aspecto é impecavél e em comparação com a justiça brasileira que atualmente atua muito parcialmente para o lado do governo,  podemos esperar que se internamente  não fizerem nada os EUA irão até o fim, doa a quem doer .

SãO PAULO presidente brasileira, Dilma Rousseff e ministro das Finanças  Guido Mantega, foram citados entre os catorze nomes que devem responder em um processo avançado pela Justiça dos Estados Unidos contra a companhia petrolífera estatal Petrobrás. O escritório de advocacia Labaton Sucharow, representando a cidade de Providence, capital de Rhode Island, incluído Rousseff, Mantega e doze outros empresários e ex-ministros, em uma lista de “pessoas de interesse na ação” se movendo contra Petrobrás e duas subsidiárias da estatal. No entanto, Labaton Sucharow parceiro, Michael Stocker, disse à imprensa brasileira que não há intenção de “transformar” a “pessoas de interesse na ação”, como Dilma e Mantega, sobre “criminosos” do processo. “É muito cedo na nossa estratégia de litígio, dizendo que todas essas pessoas serão chamadas para prestar depoimento”, disse Stocker, que estimou em “centenas de milhões de dólares” prováveis danos contra ferido em um eventual decisão contra Petrobrás. De acordo com a edição online do jornal O Estado de São Paulo, a Justiça dos Estados Unidos, de considerar o caso pode indiciar vários dos envolvidos deve verificar se eles assinaram um relatório falso para a emissão de ADSs (American Depositary Shares) da empresa. Com a emissão de certificados de dívida, a Petrobrás captou 100,000 milhões e fazer avançar o processo, a verificação da suposta fraude na omissão ou deturpação de informações, a empresa poderia pagar milhões em compensação no país norte-americano. Na lista o atual presidente da Petrobrás, Graça Foster, e empresário Jorge Gerdau, grupo siderúrgico Gerdau, ex-membros do Conselho de Administração da Petrobrás, que Rousseff parte como ministro da Casa Civil (Presidência) também aparecem até 2010, quando foi eleito presidente. O presidente da empresa, Sérgio Gabrielli; Presidente do Estado Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, e do ministro do Planejamento, Miriam Belchior, que como Mantega vai deixar o cargo no próximo 01 de janeiro, são outros nomes mencionados. Outros ex-membros do Conselho, como o executivo Fábio Barbosa, presidente do grupo editorial Abril, e Josué Gomes, filho do falecido ex-vice-presidente José Alencar e chefe do grupo têxtil Coteminas estão entre os quatorze nomes. Os ex-ministros de Minas e Energia, Silas Rondeau e Marcio Zimmermann; ex-presidente do Tribunal de Contas da União (TCU) Sérgio Quintella; Marcos Antonio Menezes, do Instituto Brasileiro de Petróleo, eo general Francisco Roberto de Albuquerque, completam a lista. O processo nos Estados Unidos, conhecida no Brasil na sexta-feira, mas ainda sem sequer mencionar o nome de Dilma Rousseff, levou os títulos da empresa a cair mais de 6% e, assim, perder os ganhos nos últimos dias na bolsa São Paulo, onde acumulou perdas no próximo ano para 40%. Estado da submerso em um escândalo de corrupção para o desvio dos recursos obtidos através de um esquema que recolheu subornos por meio de contratos com superfaturamento construtores e dinheiro, segundo a pesquisa, seria entregue a aliados políticos do Partido dos Trabalhadores (PT). De acordo com um artigo publicado no jornal Folha de São Paulo, Petrobrás por causa do escândalo e da queda dos preços internacionais do petróleo perdeu este ano para o acumulado 22 de dezembro de 43,6% do seu valor de marcação, atualmente estimado em 51,600 milhões.

Fonte Emol.com Chileno – link original

Tradução- Google

Posted in Economia and tagged , , , .

Deixe uma resposta