Muro della Vergogna

NEL MIGLIORE STILE APARTHEID DILMA ERIGE IL VERGOGNOSO MURO DELLA REPUBBLICA POPOLARE DEL BRASILE. ‪#‎Brasle‬ 7 di settembre, festa Nazionale dell’Indipendenza. É prevista, come ogni anno, una grande sfilata militare sulla Esplanada dos Ministérios della capiitale Brasilia. Per questa grande festa con autorità politiche e di alta partecipazione popolare, quest’anno il governo Dilma, caduto ad […]

EUA podem endossar fraude nas urnas brasileiras

Em 29 de outubro de 2006 o poderoso matutino The New York Times denunciou que os EUA investigavam a presença das mãos do governo de Chávez num suposto golpe eletrônico em urnas, em vários países. O centro de tudo era a empresa venezuelana Smartmatic. Empresa essa que, aliás, também trabalhou no Brasil prestando seus serviços nas […]

Brazil protesters demand President’s impeachment

Protesters say the President knew about a huge graft scandal at the state oil company Petrobras More than 1 million people took to the streets across Brazil on Sunday to demonstrate against President Dilma Rousseff. Many were calling for her impeachment over a massive corruption scandal while she was head of the state oil company […]

Quem saiu às ruas não foi a CIA

EL País por Juan Arias As manifestações não foram organizadas pelos EUA, e sim por um novo país, surgido das cinzas da Velha República, cada dia mais desgastada A suspeita do líder do PT na Câmara, o deputado Sibá Machado, de que por trás das manifestações de protesto no domingo pudesse estar a mão negra […]

Mais médicos : articulações secretas do governo

Mais Médicos: Governo tentou mascarar acordo com Cuba

Em gravação obtida pelo Jornal da Band, assessores do Ministério da Saúde afirmam que objetivo do programa é ajudar ditadura dos irmãos Castro; ex-ministro Marco Aurélio Garcia foi quem definiu o salário dos profissionais, que ainda contam com “feitores” vigiando seus passos

Mais médicos : articulações secretas do governoGravações de uma reunião anterior ao lançamento do Mais Médicos revelam que assessores ministeriais tentaram mascarar um dos objetivos do programa: atender o governo cubano, reservando a maior parte do orçamento a profissionais vindo do país insular.

Após as manifestações de junho de 2013, o governo federal tratou de apressar algumas medidas populares. Uma delas foi contratar médicos para atuar em locais do país que não eram atrativas para doutores brasileiros com o projeto, que o planalto vinha estruturando secretamente havia seis meses.

A pressa foi grande que acabou dando causa a um evento raríssimo em Brasília, onde, em pleno sábado, aconteceu uma reunião da qual participaram ao menos seis assessores de ministérios. A reportagem da Band conseguiu identificar três assessores do Ministério da Saúde que participaram do encontro: Rafael Bonassa, assessor do gabinete do ministro, Alberto Kleiman, da área internacional e Jean Kenji Uema, chefe da assessoria jurídica.

Além deles, também esteve no encontro Maria Alice Barbosa Fortunato, que atualmente é coordenadora do Mais Médicos na Organização Panamericana de Saúde (Opas), a mais preocupada do grupo em ocultar a preferência do governo federal pelo médicos Cubanos.

“Eu acho que não pode ter o nome governo de Cuba porque senão vai mostrar que nós estamos driblando uma relação bilateral”, explicou Maria Alice em um trecho da gravação, ressaltando que, como o documento é público, um “drible” estaria sendo aplicado no texto.

Para mascarar o acordo com Cuba, a representante da Opas propõe que seja simulado uma abertura para médicos de outros países. A esses, no entanto, será destinado apenas 0,13% da verba alocada para o primeiro ano do Mais Médicos.

“Eu posso colocar atividades do Mercosul e da Unasul, que vai dar dois milhões. Dois milhões em relação a um bilhão e seiscentos milhões , será que na coisa da justiça tem problema?”, questionou.

 

Salário de cubanos foi estipulado por Marco Aurélio Garcia

A discussão dos assessores enfrenta outros temas complicados , como a vinda de “assessores” cubanos para acompanhar o programa, encarados pelos críticos do Mais Médicos como vigias ou feitores do governo cubano para evitar deserções.

“Eu vou colocar, tipo assim, se são nove mil médicos e 50 assessores, eu vou colocar 9.050 médicos bolsistas no meu T.A. (Termo de Ajuste), porque no programa não entra e é isso que eu quero defender”, explicou Maria Alice em outro trecho da gravação.

Outro problema posto na reunião foi qual seria o salário que Cuba iria pagar aos médicos./ Segundo o representante do Ministério da Saúde, Alberto Kleiman, quem definiu o valor foi um brasileiro, o assessor internacional da Presidência, Marco Aurélio Garcia.

“Sessenta (por cento) para o governo e 40 (por cento) para o médico. O Marco Aurélio (Garcia) botou isso na reunião, só para socializar”, frisou o assessor na reunião.

A representante da Opas, no entanto, disse achar que o governo brasileiro, que contrata e paga a conta, não deveria se meter. “A relação é do governo deles, eles que decidem. Não é a gente que vai interferir nisso”, opinou.

Não é o que pensa o Tribunal de Contas da União, que após estudar os documentos que embasaram o acordo concluiu que o tratamento diferenciado entre os médicos brasileiros e os que virão por meio de intercâmbio afronta o artigo 5º da Constituição Federal, segundo o qual todos são iguais perante a lei.

O TCU aponta que o documento afronta também o código de recrutamento da Organização Mundial de Saúde (OMS), que determina que o “pessoal de saúde imigrante deve ser contratado, promovido e remunerado com base em critérios objetivos, tais como níveis de qualificação, anos de experiência e grau de responsabilidade, tendo por base a igualdade de tratamento com o pessoal de saúde do país onde irão trabalhar”.

O TCU vê ainda falta de transparência na relação entre a Opas e o governo brasileiro no caso do Mais Médicos. e diz que “a Opas/OMS vem invocando imunidade de jurisdição para não atender às audiências públicas bem como para negar a apresentação de documentação referente ao convênio com Cuba”.

O atual secretario de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde, Heider Aurélio Pinto, diz que não houve intenção de mascarar o acordo com Cuba. “Não tem nenhuma tem tentativa de burlar”, garantiu, afirmando que os termos do acordo “são bem claros”.

Fonte . Implicante

Matéria do site da Band

Paulista orgulhoso

 Após a magnífica manifestação de civismo, civilidade e democracia do povo Paulista, tenho que comentar a fala do ministro Rosseto: sr. ministro, não posso crer que a retumbante, maravilhosa e maior manifestação democrática do povo Brasileiro e, em particular do povo Paulista, vc sequer teve a decência de considerar cada um de nós como cidadãos […]

Escândalo na Sabesp: vaza áudio em que diretores admitem estelionato eleitoral

Um áudio vazado de uma reunião da diretoria da Sabesp em que  a presidenta da empresa, Dilma Pena, admite que a população deveria ter sido comunicada da crise hídrica, para que economizasse água. Porém, segundo ela, seus “superiores”  não permitiram. Em outras palavras, o governador Geraldo Alckmin não foi honesto com a população para não prejudicar sua candidatura […]

12 anos de governo PT e você

Muito difícil expressar uma indignação a um descaso tão grande com a sociedade brasileira que paga uma das maiores cifras de impostos do mundo,  com praticamente nenhum retorno   Fonte – DM comunicação